30/05/2013

Próton - Grafipar

Próton foi lançado em Janeiro de 1979, juntamente com a HQ Neuros, e era composta de erotismo e ficção científica. Na revista um discurso com inclinação á uma identidade nacional; buscando assim uma proximidade e intimidade ainda maior com o leitor consumidor. 
Apesar desse discurso e mesmo com o foco em uma HQ brasileira, pode ser observada uma forte influência estrangeira na concepção dos quadrinhos, principalmente por vertentes europeias. A HQ Próton teve vida curta, circulando por alguns meses .
Com uma baixa aceitação pelo público, naquele momento havia ainda pouco interesse pelo tema ficção científica e pouquíssimo conhecimento sobre o assunto. Foram lançadas 8 edições nos anos de 1978 e 1979.(Daniel Henrique Sarmento)

01 02 03 04
DOWNLOAD DOWNLOAD DOWNLOAD DOWNLOAD
05 06 07 08
DOWNLOAD DOWNLOAD DOWNLOAD DOWNLOAD

29/05/2013

Herói Erótico - Grafipar

Criado em Setembro de 1981, o HQ Herói Erótico trazia um personagem por vez como destaque na capa de cada edição. Teve uma vida curta, com apenas 06 85 números. Apesar disso foi um dos bons momentos da editora, pois os quadrinistas estavam na melhor fase de sua produção. 
Boa parte do enredo vinha de colaboradores de outros estados. Alguns de seus personagens eram Ty-Rex (um herói da idade das pedras e com muito erotismo) e Hulkão ,uma analogia ao incrível Hulk, super-herói criado por Jack Kirby e Stan Lee, em 1962.(Daniel Henrique Sarmento)

01 02 03
DOWNLOAD DOWNLOAD DOWNLOAD
04 05 06
DOWNLOAD DOWNLOAD DOWNLOAD

27/05/2013

A Arte de Rodolfo Zalla


Mudou-se para o Brasil em 1963, onde produziu a tira Jacaré Mendonça para o jornal Última Hora, foi um dos artistas responsáveis pela arte de Targo (uma cópia de Tarzan) e pela reformulação do Escopião (criado como um plágio do Fantasma de Lee Falk, Zalla foi um dos responsáveis pelas mudanças no personagem a fim de evitar um processo movido pela King Features Syndicate), ambos pela Editora Taika . 
Após trabalhar em várias editoras funda o "Estúdio D-Arte" ao lado de Eugênio Colonnese (artista que Zalla conhecera ainda na Argentina) . O estúdio funcionou entre 1966 e 1969. Em 1981 D-Arte vira uma editora e lança duas revistas de terror bem-sucedidas Calafrio e Mestres do Terror . Na Editora Abril, Zalla foi responsável por desenhar durante seis anos histórias do Zorro baseadas na série de TV da Disney .
Zalla e Colonnese foram responsáveis pela utilização de quadrinhos em livros didáticos brasileiros.  No gênero terror criou a personagem Nádia, a filha de Drácula e no faroeste o cowboy Johnny Pecos.
Essa edição especial foi publicada pela editora D-Arte para o Festival de Lucca (Itália), no ano de 1992, onde é  apresentado o trabalho nos quadrinhos , desde o seu inicio, na sua terra natal a Argentina, até a sua pátria de adoção, o Brasil.



26/05/2013

Paralelas I e II - Watson Portela


Watson Portela nasceu em Recife, Pernambuco, a 18 de outubro de 1950. Watson é um dos grandes desenhistas nacionais que possuem um trabalho consistente. Foi um dos primeiros brazukas a se destacar no cenário quadrinístico da década de 80, em meio a hegemonia do gênero super heroístico “enlatado” Americano. Seu trabalho mais conhecido do grande publico é o álbum Paralelas e Vôo Livre. Watson iniciou seus trabalhos em fanzine e mais tarde teve sua arte publicadas em diversas editoras como a Vechi, Graphipar, Abril e outras. 
O Albúm Paralelas foi lançado pela Editora Press em abril de 1986. E Paralelas II foi publicada em 2002 pela editora Opera Graphica.

PARALELAS       -       PARALELAS II

25/05/2013

Especial de Quadrinhos - Grafipar

Especial de Quadrinhos surgiu em Agosto de 1979 e jamais teve uma linha editorial muito bem definida. Na verdade essa HQ servia mais como um tipo de “laboratório de testes”, onde Claudio Seto acabava testando temas diversos para verificar sua viabilidade.
O volume número 10 foi considerado como uma verdadeira joia rara dentre os quadrinhos brasileiros e a produção da Grafipar. Trazia como título Ficção Fantasia – sexo no futuro. Na verdade era a tentativa de reestruturação da extinta revista Próton, que era a única HQ que trazia temas de ficção científica.
Segundo Seto, o conteúdo de ficção cientifica que os leitores brasileiros gostavam era diferente, dos estilos americanos e franceses e, percebendo isso, a Grafipar verificava também que os seus autores estavam muito influenciados por estes estilos de ficção. Então era a hora de se adequar, e a história, Fantasia – sexo no futuro, seria o primeiro passo. Foram publicados no total, 20 números.(Daniel Henrique Sarmento)

01 02 03 04 05
DOWNLOAD DOWNLOAD DOWNLOAD DOWNLOAD DOWNLOAD
06 07 08 09 10
DOWNLOAD DOWNLOAD DOWNLOAD DOWNLOAD DOWNLOAD
11 12 13 14 15
DOWNLOAD DOWNLOAD DOWNLOAD DOWNLOAD DOWNLOAD
16 17 18 19 20
DOWNLOAD DOWNLOAD DOWNLOAD DOWNLOAD DOWNLOAD
21 22 23 24 25
DOWNLOAD DOWNLOAD DOWNLOAD DOWNLOAD DOWNLOAD

Scans Xugismundo & Projeto Grafipar

24/05/2013

Terra 1

Minissérie em 4 edições, escrita por Sérgio Figueiredo, Kevin Juaire e David Campiti com desenhos de Carlos Mota e capas de Mike Deodato.
Narrada por um batedor interceptado pela nave dos Embaixadores, a história fala da queda de uma espaçonave gigantesca na segunda maior cidade do planeta, causando destruição em massa. Mas um encontro entre um garotinho e uma das sobreviventes alienígenas muda todo o futuro.
Em um planeta devastado pela ganância das pessoas, com seu eco-sistema destruído e agora com o sol tornando-se supernova, só resta à humanidade restaurar a espaçonave caída e partir para as estrelas em busca de um novo lar. 

23/05/2013

Neuros - Grafipar

Essa publicação da Grafipar era dedicada á expressão dos artistas das HQ Brasileira. O objetivo da série era eliminar o máximo os clássicos fantasmas importados, presentes na maioria das revistas de terror.

Em contra partida a revista oferecia ao leitor narrativas nacionais onde o incrível se mesclava ao sexo, ao folclore regionalista, a luxúria, ás inúmeras ocorrências arrepiantes das pequenas e grandes cidades.

Não é possível separar o real do imaginário, o insólito cotidiano do terror dito absurdo. tal jornada seria praticamente impossível, pois só a vivencia de cada uma pode revelar aos nossos olhos desprevenidos todo o mistério que se esconde sob a capa da incredulidade.